Dieta do Paleolítico

A dieta do peleolítico é uma novidade curiosa e que pode trazer benefícios ao nosso organismo, além de emagrecer.

Artigo publicado por Amanda Bitte nas categorias: Dietas

Existem muitas dietas curiosas e oriundas de crenças e ideologias alimentares distintas, e com certeza a dieta do paleolítico é uma das mais curiosas. Essa dieta foi originada, como a maioria das dietas que viram rapidamente moda por todos os países ocidentais, nos Estados Unidos, e hoje é conhecida e praticada por milhares de pessoas. A dieta do paleolítico é baseada em estudos que apontam que a época “de ouro” da saúde do ser humano ocorreu durante o período paleolítico, quando os seres humanos eram caçadores sagazes chegaram ao topo da cadeia alimentar.

Naquela época a oferta de alimentos era escassa, bem diferente da fartura dos dias de hoje, e os seres humanos concorriam com muitos mamíferos e felinos pela caça. Mesmo assim, o ser humano alcançou excelente forma e obteve êxito na sua obtenção de alimento cotidiana. Nessa época ainda, o ser humano passou a dominar a arte do fogo, o que permitiu que ele conseguisse cozinhar os alimentos e ofereceu uma variedade maior de fontes, além de uma digestão facilitada e mais rápida.

Dieta do Paleolítico

Quantos Quilos Posso Emagrecer com a Dieta do Paleolítico?

Em média, a perda de peso da dieta do paleolítico é diferente para homens e mulheres, sendo que um homem pode perder 3 kg por semana com a mesma dieta que a mulher poderia perder até 2,5 kg semanalmente.

Por que essa dieta emagrece

Inicialmente podemos perceber que a dieta do paleolítico é rica em proteínas e fibras, e isso é pode ser indiscutivelmente benéfico ao nosso corpo. Ela é dotada de muitos óleos polinsaturados essenciais como o ômega 3, e também é rica em fibras que melhoram e muito a digestão. Essa dieta peculiar ainda fornece vários grupos de vitaminas, minerais e antioxidantes naturais, necessários e benéficos ao nosso organismo em diversos aspectos. Não inclui laticínios nem hidratos de carbono, e uma das características principais: come-se apenas quando se tem fome, e não em horários pré-definidos.

Quem defende a dieta do paleolítico e a pratica na sua alimentação cotidiana alega que, durante milhares de anos, o ser humano desenvolveu enzimas específicas para lidar com os novos alimentos que eram, aos poucos, introduzidos na nossa alimentação. Essas enzimas fora criadas lentamente, à medida que o homem antigo caçava e melhorava a sua dieta. Muitos anos se passaram e o seu humano hoje tem plena capacidade de processar aproveitar os alimentos que são a base para uma dieta saudável, como os principais nutrientes da carne e dos principais vegetais que sempre tivemos acesso.

Mas nos últimos anos, com a evolução da agricultura e com a industrialização dos alimentos, muitas outras substâncias foram introduzidas na alimentação do ser humano, de forma desordenada e repentina. Essas substâncias prejudicam de forma substancial a nossa saúde e bem-estar, porque não são reconhecidas pelo nosso corpo e alteram o funcionamento natural do nosso organismo.

Os testes realizados em grupos nos Estados Unidos tiveram como resultado uma queda brusca no colesterol e no índice de gordura dos indivíduos, além da diminuição do índice de massa corporal e da pressão sanguínea. Porém, uma das desvantagens seria a queda do nível de cálcio no organismo, que prejudicaria a médio e longo prazo o corpo humano (a queda foi mais de 50%).

Mesmo assim, a dieta promete ser muito benéfica contra problemas como diabetes tipo 2, muitos tipos de alergia (pela supressão dos cereais e tubérculos e suas toxinas), acne, dores articulares, lúpus, síndrome do intestino irritável e variações bruscas de humor. Na prática, não podemos (ninguém pode) afirmar que essa dieta consegue melhorar a qualidade de vida e emagrecer, já que cada caso possui resultados específicos. Mas se você deseja se aliar ao grupo de simpatizantes ou praticantes dessa dieta, recomendamos que antes seja realizada uma consulta a um nutricionista, pelo caráter restritivo absoluto de alguns alimentos nessa rotina peculiar.

Alimentos Permitidos

A dieta dos humanos daquela época era constituída basicamente pela carne de caça, insetos e alguns poucos vegetais. Dentre esses vegetais destacaram-se algumas raízes, frutos, folhas e sementes. E em algumas partes da terra a dieta base do homem do paleolítico era constituída basicamente por frutos do mar, como alguns crustáceos mariscos e peixes. E é basicamente isso que prega a dieta do paleolítico hoje: se alimentar exclusivamente do que se alimentavam os homens de antes, sem fazer uso dos alimentos que temos hoje em dia, frutos da industrialização e da agricultura extensiva. Para os seguidores modernos dessa dieta, os principais alimentos são: carne magra, peixes, frutos e vegetais, raízes, tubérculos e ovos.

Alimentos proibidos

Os alimentos proibidos para a dieta do paleolítico são os alimentos que foram, como foi citado, inseridos na nossa alimentação cotidiana recentemente. Alimentos que não possuem uma boa resposta do nosso organismo e que na maioria das vezes possui uma digestão complicada, pesada e que pode trazer complicações. Esses alimentos seriam responsáveis por uma série de intolerâncias e alergias do mundo moderno, e por isso são excluídos da dieta de forma geral. Entre esses alimentos podemos citar as leguminosas, todos os derivados do leite,os grãos e cereais que fazemos uso no nosso dia (lembre-se que arroz e milho também são grãos), açúcar, sal e qualquer tipo de alimento industrializado ou processado.

Cardápio:

Café da manhã

Pode-se alternar entre esses grupos e pratos: 01 fatia de melão/ 01fatia de Papaya/ 01 fatia de melancia, 01 ovo cozido/ 02 colheres de sopa de camarão/ 01 fatia de lombo com mel, 01 colher de castanhas do pará / 01 copo de suco natural de sua preferência.

Peito de Frango

Almoço

Para o almoço, onde as enzimas estão mais fortes e temos uma digestão melhor, alternamos entre: 01 prato de salada (couve, alface e tomate, rabanete ou salada variada), 04 ovos de codorna/ 01 colher de abóbora refogada, 01 colher de salmão assado desfiado/ 02 fatias de peito de frango assado/ 02 porções de filé Mignon assado/ 02 porções de cação assado, 01 colher de abóbora refogada/ vagem refogada com cenoura / legumes refogados, e um copo de água de 100 a 200ml.

Jantar

Para o jantar escolhemos refeições mais leves: salada de rúcula, agrião ou tomate, 01 porção de frango desfiado/ espinafre refogado/ 01 ovo cozido, e 01 porção de vegetais refogados, como vagem, brócolis ou couve, além de um copo de suco natural.

Lanche

Para o lanche entre as refeições o ideal são frutas secas, como damasco, uvas passas ou figos, ou frutas frescas como uvas e banana.

Amanda Bitte

Autora

Amanda Bitte é proprietária de uma clínica de emagrecimento e adora compartilhar novidades sobre bem-estar, saúde e principalmente emagrecimento.



Comente!




*Campos obrigatórios