Acomplia

Conhecido também como a pílula antibarriga, o Acomplia teve diversos problemas com órgãos sanitários em vários países.

Artigo publicado por Amanda Bitte nas categorias: Remédios

O nome real desse medicamento é Rimonabanto, que chegou às prateleiras brasileiras em 2006 com o nome de Acomplia. Após sua larga utilização e sucesso entre os clientes, que se mostraram satisfeitos com o seu resultado, o Acomplia acabou proibido no Brasil no final de 2008, quando a ANVISA o retirou das prateleiras de forma rápida.

Isso aconteceu devido a estudos específicos que apontavam para problemas psiquiátricos constantes associados ao uso dessa substância, e dessa forma os riscos associados ao uso no emagrecimento não puderam mais permanecer controlados e conhecidos de forma clara e suficiente, inclusive causando tendências suicidas nos usuários.

acomplia

Antes da ocorrência desse problema, porém, o Acomplia já despontava no mercado nacional com a fama de pílula antibarriga, principalmente pela sua ação exclusiva contra o acúmulo de gordura abdominal, além de (claro) a sua eficácia na redução de medidas de forma geral. Houve então uma grande expectativa quanto à liberação do remédio pela ANIVSA para a venda novamente, com uma grande pressão dos grandes laboratórios.

Como o remédio atua no emagrecimento

A principal forma de atuação das substancias presentes no Acomplia é o bloqueio de substâncias chamadas de endocanabinóides, que provocaria uma autoestimulação das ações do organismo e consequentemente do apetite. O sistema relacionado aos endocanabinóides atuam de forma preventiva no corpo humano, prevenindo uma possível escassez de alimento futuro e de fonte de energia direta, e dessa forma gerando um acúmulo de gordura, principalmente na área abdominal de forma geral.

O remédio atua de forma incisiva nas células receptoras que se encaixam ao endocanabinoides, literalmente bloqueando o seu acesso a essa função orgânica do nosso organismo. Sendo assim, o Acomplia evita que o corpo acumule gordura.

Quantos quilos posso perder

Não existem índices precisos no uso desse remédio, que possibilite uma mensuração da perda de peso em determinado período. Isso dependerá muito do organismo daquela pessoa, e do nível do acúmulo de gordura observado no momento do início do tratamento. Pessoas com maior índice de massa corporal (IMC) geralmente apresentaram perdas mais significativas, mas isso também depende do tipo de dieta que está sendo ministrada em conjunto com o uso do remédio.

rimonabanto

Contraindicações

Lactantes, pessoas com histórico de depressão ou que estejam utilizando no momento antidepressivos, e indivíduos com hipersensibilidade ao componente rimonabanto. Mas lembramos que o uso dessa substância, liberada ou não pelo órgão de vigilância sanitária do nosso país, deve ser sempre indicado e acompanhado por um médico ou especialista responsável, capaz de associar o seu uso ás características particulares daquele indivíduo. Isso pode evitar muitas complicações e problemas graves que podem ocorrer no uso contínuo do remédio.

Efeitos colaterais

Os efeitos que geraram toda a preocupação com o uso do Acomplia são quadros de depressão e intenção suicida, mas que ainda não podem ser provados cientificamente de forma concreta. Quanto aos efeitos colaterais físicos, podemos observar náuseas e infecções no aparelho respiratório. Outros sintomas podem ser observados em pessoas de forma isolada, tanto efeitos colaterais psíquicos quanto os puramente físicos e todos devem ser prontamente informados ao médico responsável.

Amanda Bitte

Autora

Amanda Bitte é proprietária de uma clínica de emagrecimento e adora compartilhar novidades sobre bem-estar, saúde e principalmente emagrecimento.



Comente!




*Campos obrigatórios